Ghostwriter, o que é?

anc3b3nimo

Vida de freelancer não é fácil, garanto para vocês. Mas, também pode ser muito divertida e muito engraçada, quer dizer, frustrada. No post O Início eu expliquei um pouco dessa modalidade de freelancer, ghostwriter, e percebi que esse tema merecia um lugar especial, um post só dele.

Então, vamos lá!

O que é ghostwriter?

Como o próprio nome diz, ghostwriter é o “escritor fantasma”. Isso quer dizer que você é contratada para realizar serviços em formato anônimo, sem poder assinar com seu nome ou fazer divulgações sem pedir permissão, por assim dizer. Meu primeiro freela, sobre botas, foi ghostwriter e só descobri porque entrei no site e queria mostrar para a minha família. Vi meus textos e outro nome. Sim, fiquei possessa e muito irritada. Foi então que comecei a pesquisar e me inteirar sobre o assunto. Como o serviço já tinha sido pago, deixei para lá, afinal, estava apenas começando.

Outro freela era sobre moda e beleza. Tive que assinar um contrato que dizia que o texto não poderia ser reproduzido em nenhum lugar sem o consentimento do cliente e que não poderia utilizar meu nome. Dessa vez gostei da organização e de ter me avisado com antecedência.

Porém, uns anos atrás estava escrevendo sobre saúde, obesidade, anorexia e dietas. O cliente tinha me dito que meu nome sairia no site (o que é muito gratificante), só que estava mentindo. Acho que pensou que eu não entraria para confirmar. Pois é. Fiquei irritada pela pessoa não valorizar o meu trabalho e querer enganar um profissional que sempre entregava no dia certo os textos. É nessa hora que você pensa: será que vale a pena? Infelizmente tive de cancelar o serviço porque o cliente não respondia e-mails, não se justificava e não avisava, de nada.

Nesses anos que estou seguindo carreira como freelancer dificilmente conseguirei encontrar meus textos assinados por mim devido à quantidade imensa de ghostwriters e de clientes que pagam pela anonimidade.

Eu preciso explicar uma coisa: se o cliente for uma empresa idônea, legal, e se você fizer parte dela como freelancer, é possível que você seja ghostwriter. Se você faz parte da equipe, já tem seu nome lá, você não precisa de mais nada, principalmente se eles te deixarem divulgar os seus textos. Vai de cada empresa, de cada cliente, mas fique esperto. O preço também tende a mudar, viu?

Mas e o seu nome como referência?

O mais difícil nessa modalidade freelancer é que fica cada vez mais difícil conseguir provar a origem dos textos. Se conseguir uma vaga legal, um cliente, uma organização que quer o seu serviço, ser freelancer ghostwriter é complicado porque pode ser uma faca de dois gumes: será que está falando verdade e tem credibilidade ou está mentindo e fingindo que tem experiência? Por isso que nesse momento é legal pedir por um teste ou buscar algo que comprove a autoria, como referências, contato para que eles comprovem.

Não é fácil. No começo é frustrante, mas você acaba se acostumando, inevitavelmente.

Aqui na Freelancer Anônima andamos conforme o cliente pede. Temos que nos adaptar, sempre.

Você seria ghostwriter? Acharia difícil?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s